Google+ Followers

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Cuco da tia Helionete.


Tive uma tia, chamada Helionete.
Na sala da casa dela tinha um relógio Cuco que eu adorava. Lembro de mim, ainda menina, esperando que marcasse a hora para o cuco sair da casinha e cantar. Achava aquilo maravilhoso.
Hj, já nem sei se esse relógio ainda existe e se existe, onde está.
Ela faleceu em 1987, deixando muitas recordações boas.
A principal era o seu zelo pela casa, por ela e pela familia.
O jardim era um lugar da casa, que chamava atenção de tão bonito. As cestas com samambaias eram enormes, onde a gente só enxergava as folhagens.
Para mim, ela foi um exemplo de mulher.
Que Deus a tenha.

2 comentários:

  1. Olá Ana, boa tarde! Passei por aqui deixei um beijo e me encantei com a história do relógio. Penso que sempre temos histórias assim... eu tb tive a oportunidade de conviver com um tia de minha mãe que tinha um relógio carrilhão, enorme, gigante na sala... rsrsrsr, quando se é criança tudo é tão mágico e bom, né mesmo?!

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana. Os relógios Cuco fazem também parte de minha história. Tínhamos um, quando eu era criança, que foi roubado. Eu não me conformei em ficar sem ele e comprei outro, que está até hoje na casa de minha mãe. Não é tão bonito quanto esse da sua foto, o anterior era lindo, mas supre as minhas lembranças de infância. Beijocas.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Volte sempre!
Deixe aqui seu comentário ou entre em contato comigo pelo e-mail bragamaral@uol.com.br.
Agradeço, Ana Maria