Google+ Followers

sábado, 18 de janeiro de 2014

Menopausa

Esse texto li e gostei. Daí estou repassando.

É mais ou menos assim: um dia você acorda quadrada, ou talvez com jeito de matrona!
A menopausa não é colega - ouvi de uma mulher numa sala de espera de dermatologista. Estávamos as duas com os rostos inchados e chamuscados por lasers e peelings, folheando perversas revistas de moda onde todos são jovens e felizes, depositando míseras gotículas de esperança nos raios que nos partem daqueles aparelhos de última geração.
Balancei a cabeça como uma vaca no matadouro e, sem pestanejar, movida pela absoluta cumplicidade daquele instante, falei para a minha colega: a menopausa é uma filha da mãe, isso sim!
Caímos na maior gargalhada e assim ela se tornou a minha primeira amiga de menopausa.

A menopausa é um sequestro. Uma versão, só para mulheres, de praga bíblica. Inferno astral que antecede a terceira idade.
É tragicômica, portanto, para encarar, só rindo.

Um dia você está no meio da sua normalidade, é arrancada de tudo que você tem como referência física de si mesma e é lançada a uma espécie de funilaria às avessas.
A libido diminui na mesma proporção em que aumenta a irritabilidade.
Você não só não pensa tanto, nem gosta tanto, nem se importa tanto mais com sexo, como para compensar vira uma criatura instável, pavio curto, sem paciência para nada, capaz de discutir com poste, de deprimir à toa, ter crise de choro com anúncio de seguradora e ataques de ansiedade ao ler o jornal.
E, até então, você achava que TPM era o pior que podia acontecer....

Os sintomas aparecem inadvertidamente:
ressecamento;
celulite - a pele de pêssego é substituída pela casca de laranja;
flacidez - é a triste irrevogabilidade da lei da gravidade;
manchas senis - essas pelo menos trazem o consolo dos muitos verões bem vividos; insônia - e com ela balanços complicados da vida;
calores - esses são um requinte de crueldade;
esquecimentos - sua memória vira uma espécie de vácuo e você passa por constrangimentos como aquela frase típica: "sabe aquele filme, daquele diretor, com aquela atriz, como é mesmo o nome?";
ossos de papel - e o perigo de tombos ridículos resultarem em cirurgias onde pinos e próteses são implantados sem cerimônia;
cabelos ralinhos de palha de milho - a sua trança de potranca virou tererê;
cintura - convexa ou quase inexistente com direito àqueles dois afundadinhos nas costas, como se você fosse feita de massinha de modelar;
olhar - embaçado por uma nata azulada toldado por pálpebras fofas.

Que dó, que desperdício!! Você resiste bravamente. Convoca uma legião de especialistas, as forças do Bem, o exercito da salvação.

Demora, mas passa, e você sobrevive à pororoca hormonal da adolescência; você há de superar o declínio daqueles mesmos hormônios e seus asseclas que um dia já te enlouqueceram.

E aí, passada a tempestade, vem a bonança, a libertação.
Você estará livre de ter que ser bonita, magra, eficiente, querida, desejável, vencedora, fértil, elegante, informada, culta, legal, conectada, tudo ao mesmo tempo. Ufa!!
Sua bagagem é tão grande que dá para jogar fora um monte de supérfluos e pesos mortos.
Seu tempo é só teu e você não precisa provar mais nada para ninguém. Seu maior desafio é ter-se tornado uma boa companhia para si mesma.

Você já não quer mudar o mundo, você quer compreendê-lo, você quer viver em paz e ser respeitada.
A menopausa é um tremendo rito de passagem. Inevitável e necessário. Coisa de gente grande. O relógio biológico é inclemente, imparcial.....
Não há negociação possível, apenas a vida seguindo seu curso.
Então, que venham os ciclos, todos. Com seus sustos, sombras e transformações.

Hilda Lucas (publicado na Lola de abril)


 


14 comentários:

  1. Gostei do texto muito bom, quanto a menopausa
    ela vem com o tempo mesmo, somos jovens temos
    td no lugar pele macia, corpo perfeito, ai vem filhos e a idade
    chega de mansinho rsrsrsr...hj olho no espelho e vejo o quee
    estou envelhecendo sem problemas

    Mas tem gente que complica com td isso.......cada um é cada um né

    Abraços de sempre

    └──●► *Rita!!

    ResponderExcluir
  2. Espetacular! Muito bem observado! M..... de menopausa!
    Beijinhos, querida

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana Maria!!!
    Adorei o texto!!! Muito bom!!!
    Chorei e ri ao mesmo tempo!!! Preciso dizer porquê??? Rsrsrs!!!
    Obrigada por compartilhar!!!
    Boa semana!!!
    http://binacombina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Ana

    Texto muito bom e verdadeiro. ADOREI!
    Ótima semana para vc...

    AMIGA DA MODA by Kinha

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana
    Deixando os exageros de lado, o texto é muito bom e retrata a realidade das mulheres.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana,
    Que medo de chegar a esse ponto...não de envelhecer, mas de ter que enfrentar tudo isso!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana, olha, eu sou nova ainda, mas não tenho medo de passar por isso!
    O medo que eu tenho é de quando ficar velhinha, não estar mais lúcida e dar trabalho aos outros, não fazer as coisas com sentido. Não sei.
    Acho que devemos viver cada fase como a sua fase.
    Ah, estou seguindo seu cantinho.
    Estou com um post de interesse de todas, pois ajuda bastante as blogueiras, gostaria de saber sua opinião sobre o assunto.
    Beijos.
    pequenamenina31.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana,
    Se eu pudesse pular esta fase, bem que pularia. Vc sabe que está na menô quando o elogio que recebe é aquele: Você está tão bem PARA A SUA IDADE!
    Bjs e uma ótima 3ª-feira para você.

    GOSTO DISTO!

    ResponderExcluir
  9. O tempo passa , e com ele vem as coisas que não queremos , mas também vem as cargas positivas , experiencias que podemos guardar ou ajudar a outrem.
    bjs tenha uma boa semana.
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. oi Ana!

    Nossa, não esperei chegar a menopausa , tive que retirar o útero, mas vou passar por todos estes problemas, pois ficaram os ovários, aliás todas vamos passar. Dizem que os calorões são a pior parte. Mas concordo mesmo com o comentario da Patrícia Porto, o que dá medo ao envelhecer é o trabalho que podemos dar aos outros, medo de perder a memória. Mas o texto é perfeito!

    bjinhos

    ResponderExcluir
  11. Eu estou com 32 anos, mas o tempo passa e espero ter senso de humor para enfrentar tudo isso! Adorei o texto!

    ResponderExcluir
  12. Olá Ana

    Vim lhe desejar uma ótima tarde!


    AMIGA DA MODA by Kinha

    ResponderExcluir
  13. Nunca pensei que pudesse ser esse turbilhão de emoções e libertação. Bjs.
    tudonanecessaire.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Volte sempre!
Deixe aqui seu comentário ou entre em contato comigo pelo e-mail bragamaral@uol.com.br.
Agradeço, Ana Maria