Google+ Followers

terça-feira, 4 de maio de 2010

Ser chique.

Nunca o termo "chique" foi tão usado para qualificar pessoas como atualmente. A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão a venda. Elegância é uma delas. Assim, para ser chique é preciso muito mais que uns guarda-roupas recheados de grifes importadas. Muito mais que um belo carro Alemão. O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta.

Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes nem com a soberba. Mas que, sem querer, atrai todos os olhares, porque tem brilho próprio. Chique mesmo é quem é discreto, não faz perguntas inoportunas, nem procura saber o que não é da sua conta. Chique mesmo é parar na faixa de pedestre e abominar a mania de jogar lixo na rua. Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e as pessoas que estão no elevador. É lembrar do aniversário dos amigos. Chique mesmo é não se exceder nunca. Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir. Chique mesmo é olhar no olho do seu interlocutor. É "desligar o radar" quando estiverem sentados a mesa do restaurante, e prestar verdadeira atenção à sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra. É ser grato a quem lhe ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, mas ficar feliz ao ser prestigiado. Mas para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre do quanto que a vida é breve e de que vamos todos para o mesmo lugar. Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se cruzar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não lhe faça bem. Porque, no final das contas, chique mesmo é ser feliz!



Adorei este texto e por isso estou repassando para vocês.

(Texto do livro "A quem interessar possa", de Gilka Aria)

9 comentários:

  1. É Anna, segundo minha avó "chic" é ter berço!!!!
    Bem colocadas suas palavras.
    Bjs, e um bom dia!

    ResponderExcluir
  2. Olá Ana, que cantinho gostoso você tem, adorei os textos. Parabéns

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. olá Ana!
    Puxa!Como o Brasil está precisando de gente chique!!!!
    Será que consegue? Pelo que observo, acho que ainda vai demorar bastante
    bjs Lais

    ResponderExcluir
  4. Oi Ana Maria
    Adorei o texto...infelizmente hoje dia é raro pessoas chiques!! adorei!
    bjs
    Vânia

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana,pra mim voce é muito chique,adoro vc!Saudades,bjs,Sandra.

    ResponderExcluir
  6. Olá Amiga

    Acertou na mosca,adorei parabéns
    Boa noite.

    Bjo

    ResponderExcluir
  7. Tem selinho lá no meu blog,pra você,tá?
    Bjos e que amanhã seja um dia de bençãos de Deus!♥
    www.misslude.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana.
    É primeira ve que te visito.E aproveito para felicitá-la pelo próximo dia das mães.
    Tem mimo no meu blog para você.
    abçs.Richard.

    ResponderExcluir
  9. Oi Aninha, voltando aos poucos a rotina, vim aqui a fazer-te uma visita e vi que fez níver dia 06. Minha sobrinha muito fofa fez níver no mesmo dia que você também, ela fez 06 aninhos e é uma gracinha. Olha só, Deus te abençoe muito, te concedendo assim longos e vitoriosos anos de muita vida, regada de muita paz. Fiquei muito feliz também de ver suas fotos com seus queridos amigos e familiares, sempre acho que reunir a família faz um bem enorme (se bem que na minha nem sempre isto é possível), mas tudo bem. Outra coisa Ana, amei a postagem que você fez sobre "ser chique", tem tudo ha ver mesmo, e você é muito chique, porque é muito sutil ao se expressar. Bom, como ja falei antes, estou retomando tudo aos poucos, então voltarei mais vezes aqui. Bjos carinhosos e muita paz para você e sua família.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Volte sempre!
Deixe aqui seu comentário ou entre em contato comigo pelo e-mail bragamaral@uol.com.br.
Agradeço, Ana Maria