Google+ Followers

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Privilegio de ser filha

"Sou infinitamente grata a Deus pela graça de ser mãe de três lindos filhos, mas hoje quero falar do privilégio de ser filha da minha mãe.


Sempre fui amada por uma mãe que soube me amar sem me possuir. Senti o poder do amor que protege mas deixa ir. Ela me dizia: "O barco está seguro no porto, mas não foi feito para isso".
Com ela aprendi que o amor não sufoca, liberta; e que liberdade nada tem a ver com ausência de regras. Pude experimentar o amor que hora dizia sim, hora dizia não; dava afeto e dava "carão". Aprendi que o silêncio muitas vezes fala mais alto que qualquer discussão e que nada melhor que o diálogo para fortalecer a relação; que o amor não cobra amor. O amor não obriga; contagia. O amor é grato por natureza.
Aprendi que muitas vezes a melhor instrução é deixar cair. Que há hora para direcionar e hora para deixar o filho decidir. Aprendi que responsabilidade é tão importante quanto diversão. Que o amor, ao mesmo tempo, educa e alegra. Com minha mãe aprendi o quanto é importante para o filho ver a mãe sorrir e que firmeza não tem a ver com grito ou agressão, mas sim com clareza de posição.
Aprendi que não há nada mais prazeroso que a ternura de um abraço de mãe e nada mais acolhedor do que o seu olhar protetor. Aprendi que amor de mãe independe do amor do filho. Amor de mãe insiste, persiste e não desiste. Aprendi com ela o valor da adaptação. Para toda mudança de cenário, o segredo é olhar para frente e apreciar a nova direção. Todo problema deve ser considerado, mas nunca superdimensionado. Aprendi que ser mãe não é só alegria. Que quanto mais ama, mais se desafia.
Aprendi que por mais fortes que sejam as mães, elas choram, nem que somente de vez em quando ou escondidas no banheiro. Elas também têm medos, decepções, cansaço e frustrações. Aprendi também que mesmo quando estão "aos pedaços", se dividem ainda mais para se doarem aos seus. Como minha mãe uma vez me escreveu: "Isto é o verdadeiro amor, aquele infinito e único amor que vem de Deus. O amor que exige um esvaziamento de si. O amor que dá a vida pelos outros e pelos seus".
E de todos os aprendizados que ela me ensinou, o mais essencial é que podemos tudo perder, mas que nunca devemos perder a fé. Por mais estranho que às vezes Deus possa parecer, é a Ele que devemos recorrer. É para Sua luz que devemos olhar. Aprendi que Sua Lei devemos cumprir, e sua lei é amar!
Mãe, que Deus me capacite a amar meus filhos como você me amou. Muito obrigada pelo seu amor, às vezes nem acredito que minha mãe é você. Indescritível privilégio é ser sua filha. Amo você com todo meu ser!"
Texto de Marília Fiuza fez para sua mãe.
(Fortaleza-CE)

10 comentários:

  1. Oi Ana,
    Que texto maravilhoso! Eu adoraria ganhar um presente deste de minha filha.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Tão belo! Tão digno de reflexão. Também sinto o mesmo em relação à minha mãe.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Que texto tão bonito! Gostei muito de o ler.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  4. Sou possessiva toda.
    Só sei amar e ser amada assim. Possessivamente.

    ResponderExcluir
  5. Comovente! Revi-me em muitas frases.
    Obrigada por partilhar, querida.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana
    Que texto maravilhoso, qual mãe não gostaria de receber palavras tão certeiras e bonitas, uma bela homenagem.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. lindo texto. Não há livros que nos ensinem a ser mãe porque cada filho é um ser distinto do outro. Da minha parte, sinto que falhei em vários ângulos. Se sim ou não, eis a questão. O meu coração pende para o sim. Mas amei este texto de gratidão. Que Deus a abençoe.

    ResponderExcluir
  8. Maravilhoso texto, senti um previlégio grande de ser filha da minha mamis que já se foi!

    Mas seus ensinamentos ficaram para sempre! bj

    ResponderExcluir
  9. Nossa, que texto profundo e verdadeiro Ana!
    eu vou lendo e vou sentindo o carinho da minha mãe e ao mesmo tempo vou me colocando como mãe na minha relação com os meus filhos!

    bjus querida, amei o post!
    ana

    ResponderExcluir
  10. Que texto lindo, Ana!
    bjs

    www.digoporai.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Volte sempre!
Deixe aqui seu comentário ou entre em contato comigo pelo e-mail bragamaral@uol.com.br.
Agradeço, Ana Maria