Google+ Followers

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Nada como bom humor.

Eu tomo um remédio para controlar a pressão.

Cada dia que vou comprar o dito cujo, o preço aumenta.

Controlar a pressão é mole. Quero ver é controlar o preção.

Tô sofrendo de preção alto.

O médico mandou cortar o sal. Comecei cortando o médico, já que a consulta era salgada demais.

Para piorar, acho que tô ficando meio esquizofrênico. Sério!

Não sei mais o que é real.

Principalmente, quando abro a carteira ou pego extrato no banco.

Não tem mais um Real.

Sem falar na minha esclerose precoce. Comecei a esquecer as coisas:

Sabe aquele carro? Esquece!

Aquela viagem? Esquece!

Tudo o que o presidente prometeu? Esquece!

Podem dizer que sou hipocondríaco, mas acho que tô igual ao meu time:

- nas últimas.

Bem, e o que dizer do carioca? Já nem liga mais pra bala perdida...

Entra por um ouvido e sai pelo outro.

"Não tem nada pior do que ser hipocondríaco num país que não tem remédio"

(Luiz Fernando Veríssimo )

4 comentários:

  1. Pior que é tudo verdade! Só com bom humor, que a gente consegue!rs!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana
    Muito divertido e bem humorado o texto do Veríssimo.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Olá, querida
    Quanta verdade dita na base da brincadeira!!!
    Bjm de paz

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Volte sempre!
Deixe aqui seu comentário ou entre em contato comigo pelo e-mail bragamaral@uol.com.br.
Agradeço, Ana Maria