Google+ Followers

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Cadê o beijo na boca?

Li esta crônica. Fiquei a refletir. Gostei e estou repassando.

Entre as várias coisas que acontecem depois que a gente se casa, há uma, chatíssima, que eu nunca vi discutida: os beijos na boca terminam.
É isso mesmo. Você viu seus amigos casados se agarrando como faziam antigamente?
Quando foi a última vez que você e seu ilustre marido trocaram um beijo de língua sensual e demorado? Se foi no mês passado, está tudo bem. Se você nem consegue se lembrar, não se assuste. Parece ser assim com todo mundo.

Eu me pergunto por que é assim. O sexo depois do casamento se torna menos frequente, mas a qualidade da transa aumenta muito. Com a intimidade, as pessoas ficam mais à vontade, perdem a vergonha e começam a fazer e dizer o que gostam. Tudo se torna mais intenso e mais profundo. Melhora, enfim.
Com o beijo, não. Eles são longos e molhados no início, e repetem-se o tempo todo. Funcionam, no frescor da paixão, como a forma mais intensa e direta de preparação ao sexo.
Depois somem. Reaparecem mornos de ternura no dia de aniversário ou cegos de desejo quase no clímax do sexo. E é só.
Aquele beijo apaixonado e comovido que se trocava no meio da rua desaparece como os pares de meia, em algum lugar secreto do guarda-roupa do casal.

Nem precisa dizer como os beijos fazem falta, né? É provável que não exista nada tão íntimo. Beijar 10 ou 20 na mesma noite equivale a não beijar ninguém. A mistura de todas as bocas não soma, emocionalmente, uma única boca bem beijada.
Para usufruir um beijo plenamente é preciso desejá-lo com antecedência, é preciso querer a pessoa que está em volta daquela boca. Há uma parte física e uma parte emocional nas línguas que se tocam. A física é óbvia, mas é a emocional que dirige o processo e faz disparar o coração, assim como os outros sistemas físicos de preparação.

Beijos fazem tanta falta durante o casamento que a primeira coisa que as pessoas fazem depois de se separar é beijar na boca, ardentemente.
Sexo elas tinham, mesmo num casamento arruinado. Mas beijo na boca, não. Esse tem de ser resgatado, reconquistado, celebrado.

Quem passou muito tempo sem beijo na boca sabe como é gostoso voltar a encostar um corpo na parede e beijar com pressa e sem limite, até morrer de tesão. Se você estiver encantado pela pessoa, não há nada melhor. Mesmo o sexo que vem depois talvez não equivalha, emocionalmente, a esse momento de conquista e de aceitação.

O beijo, mais até que a penetração, oferece a forma mais direta de expressar ternura. Eu abro a minha boca e me ofereço sem barreiras, eu aceito você dentro de mim, com afeto e com luxúria. Não é à toa que as prostitutas não beijam na boca. Há coisas que o dinheiro não compra.

Eu tenho poucas dúvidas de que os beijos estão por trás da maior parte dos casos de infidelidade. Depois de um tempo de estabilidade, quando os beijos já sumiram da relação, tudo com que o sujeito ou a mulher sonha, às vezes literalmente, é estar nos braços de alguém que se deseja, beijando de forma sôfrega e apaixonada.
O sexo nas relações clandestinas muitas vezes não passa de um cenário elaborado em que a peça de satisfação essencial é o beijo longo e molhado que se dá no amante, aquele que deixa os joelhos moles e faz o corpo estremecer. Não sei se existe remédio para a falta de beijos nas relações duradouras.Talvez seja um exagero de romantismo pedir que eles persistam. Pode ser que gente que dorme junta, discute sobre o lixo da cozinha e racha o seguro de saúde perca a vontade de fazer certas coisas. Haveria uma troca: eu ofereço a minha presença, minha ajuda e a minha lealdade, mas não terei mais vontade de beijar você. Parece justo? Não acho.


 Na minha opinião, as pessoas não deveriam abrir mão dos beijos e nem permitir que a falta deles empobreça seu casamento de uma forma irremediável. Quando o casal perceber que os beijos sumiram, talvez seja hora de inventar alguma coisa capaz de recuperá-los. Sexo morno é fácil de esquentar. De vídeos pornôs a casas de suingue, há uma indústria especializada em oferecer novas formas de desejo aos casais que estão se repetindo.

O beijo talvez seja diferente. Ele contém uma dose elevada de romantismo e se nutre de um erotismo mais sutil. Para beijar seu par como antes, talvez seja preciso olhar para ela ou para ele de uma forma nova, como se vocês tivessem acabado de se conhecer. Isso é possível? Talvez criando situações novas, em cenários novos, com gente nova ao redor. Vale a pena o esforço? Eu acho que vale. Muitos casamentos bacanas acabam porque as pessoas passam tempo demais discutindo e tempo de menos se beijando. Qualquer coisa que ajude a inverter essa situação deve ser bem-vinda.
Obs: não sei de quem é a autoria.

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Sala concluída

Mostrei aqui, num post do dia 11 de abril, que estavam pintando minha sala.
Já faz dias que tudo ficou concluído.
Aproveitei meu aniversário para tirar umas fotos e mostrar como ficou.
Não tiveram muitas mudanças. Foi feito: colocação do ar condicionado, tirei umas colunas que tinham e as portas foram pintadas de branco.
Como é bom ver tudo concluído!
Afinal foram 3 meses de reformas dentro de casa.
Valeu a pena.
Nessas duas fotos, acima, dá para ver que tinham duas colunas com espelhos.
As peças decorativas e de alumínio, coloquei-as juntas na horizontal.
Achei que ficou melhor e mais clean, como gosto.






Acredito que agora tenham uma ideia de como ficou.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Sanduíche quente


Segue uma receitinha boa e fácil de fazer. Vejam:

Ingredientes:
Para o creme do recheio:

» 1 pacote de creme de cebola
» 1 copo de requeijão
» ½ copo (requeijão) de maionese
» 3 copos (de requeijão) de leite
» 1 vidro de palmito
» 20 fatias de pão de forma sem casca (1 pacote)


Para a montagem:
» 300 g queijo mussarela ralado grosso
» Leite para molhar as fatias do pão
Modo de preparo
Para o creme do recheio:

Misture o creme de cebola, o requeijão, a maionese e o leite aos poucos.Leve ao fogo por cerca de 10 min, mexendo sem parar para não empelotar. Acrescente o palmito picado e mexa por mais 2 min. Deixe amornar.

Para a montagem:

Você pode montar com um refratário (de 27 cm x 18 cm x 5 cm de altura)ou dois refratários (de 18 cm x 18 cm x 5 cm de altura). Espalhe um pouco do creme no fundo do refratário. Preencha com o pão de forma molhando no leite um a um. Cubra com o creme do recheio e uma boa camada de queijo mussarela ralado. Repita as camadas, finalizando com a mussarela ou a cobertura de sua preferência. Leve ao forno médio e deixe de 25 a 30 min ou até dourar.


 




segunda-feira, 20 de maio de 2013

Porta-retratos

Sempre gostei de porta-retratos.
Talvez porque adore fotos.
Em vários cantinhos da minha casa tem algum.
Há um tempo desses, chamei uma decoradora para dar uma arrumada na minha sala e uma das coisas que fez foi tirar meus porta-retratos.
Fiquei calada, mas assim que ela deu as costas, coloquei todos eles no lugar que eu queria.
Em um deles, tem uma foto da minha 1ª comunhão. Ainda em preto e branco, mas em boa qualidade.
E vocês, também gostam de porta-retratos?
Cabeceira da minha cama
Móvel na sala
Ainda na sala
Minha foto na 1ª comunhão. Eu e minha irmã. Sou a do lado direito.

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Aniversário ainda.

Como prometi no post do dia 06, vim mostrar um pouco das fotos da comemoração do meu aniversário.
Tudo muito simples, mas preparado com muito carinho.
Vieram meus irmãos, mãe, cunhados, filhas e algumas amigas que lembraram.
Estar com pessoas queridas é minha melhor programação.
Acho que disso, todos que me acompanham, já sabem.
Vejam:
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
Adorei meu aniversário.
 
 
 
 
 

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Dia das Mães

Pela primeira vez, meu dia das mães foi comemorado na véspera, sábado, com um jantar num hotel daqui da cidade.
No domingo, dia certo, todos os restaurantes ficam lotados e para evitarmos, antecipamos a comemoração.
Isso, não tirou o brilho da reunião.
É sempre muito bom e alegre estar com minha família.
É o que tenho de mais precioso.

 
 
E viva todas as mães!!

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Meat packing Burgers

Este mês, a reunião com minha turminha de amigas, conhecida entre nós como Clube da Luluzinha, foi no Meat Packing Burgers.
É uma hamburgueria muito movimentada e bem conceituada.
Os sanduiches são gostosos e enormes.  
Eles têm como proposta hamburgers caseiros e tradicionais, ao melhor estilo americano
 
 
 
 
Amo estar com essa turma.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Meu aniversário

Hoje é meu aniversário.
Já falei aqui, que adoro este dia.
Como fiz no ano passado, irei reunir minha família e alguns poucos amigos.
Tudo coisa muito simples.
Se tivesse um apartamento maior, convidaria mais.
Para mim, o importante é a reunião, os papos, a alegria de estar com pessoas queridas.
Aproveitarei para mostrar a reforma que fiz aqui, porque ninguém da minha família viu ainda, a não ser por fotos.
Adoro ouvir os palpites. Para melhorar, fico sempre grata.
Minhas irmãs são muito sinceras e quando tem que dizer alguma coisa, não tem cerimonia nenhuma. Dizem na "lata".
E eu, do mesmo jeitinho.....rs.
Depois mostrarei as fotos da reunião.


quinta-feira, 2 de maio de 2013

Abobrinha recheada

Mais uma receitinha fácil com abobrinhas.

Ingredientes:
6 abobrinhas médias;

2 tomates maduros picados sem sementes;
1 pimenta dedo de moça picada em sementes;
1/2 xícara de parmesão;
manjericão;
sal, pimenta e azeite à gosto;

Modo de preparar:
corte as abobrinhas ao meio no sentido do comprimento e cozinhe-as com sal no vapor até ficarem macias porém as cascas ainda firmes, aproximadamente 15 minutos;
Retire a polpa com uma colher de café cuidando pra não quebrar a casca, formando umas barquinhas;
Em um recipiente junte a polpa com todos outros ingredientes menos o parmesão, que é salpicado em cima delas por último.
Leve ao forno por 5 minutos na função gratinar.
Sirva como entrada ou com uma salada verde!