Google+ Followers

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Reflexão.

Hoje o meu texto é para uma reflexão:



"A gente nem percebe, mas pequenos milagres acontecem a toda hora. O estímulo de uma palavra amiga, a cumplicidade de um sorriso, a sutileza de um gesto... essas são pequenas coisas que podem mudar o nosso dia. Faça os pequenos milagres acontecerem e viva feliz".

segunda-feira, 25 de julho de 2011

O que falta no texto abaixo?

Quero ver se são bons observadores.

No texto abaixo está faltando uma coisa.
O que será? Eu não consegui adivinhar e vocês?
Leiam com atenção:


Sem nenhum tropeço, posso escrever o que quiser sem ele, pois rico é o português e fértil em recursos diversos, tudo permitindo, mesmo o que de início, se pode ter como impossível. Pode-se dizer tudo, com sentido completo.
Desde que se tente sem se pôr inibido, pode muito bem o leitor empreender este belo exercício, dentro do nosso português, puríssimo instrumento dos nossos melhores escritores e mestres do verso, instrumento que nos legou monumentos dignos de eterno e honroso reconhecimento
Trechos difíceis se resolvem com sinônimos. Observe-se bem: é certo que, em se querendo, esgrime-se sem limites com este divertimento instrutivo. Brinque-se mesmo com tudo. É um belíssimo esporte do intelecto.

Isso pode ir longe, escrevendo-se todo um discurso, um conto ou um livro inteiro sobre o que o leitor melhor preferir. Porém mesmo sem o uso pernóstico dos termos difíceis, muito e muito se prossegue do mesmo modo, discorrendo sobre o objeto escolhido, sem impedimentos.


Deploro sempre ver moços deste século inconscientemente esquecerem e oprimirem nosso português, hoje culto e belo, querendo substituí-lo pelo inglês. Por quê?

Honremos o que é nosso, ó moços estudiosos, escritores e professores. Honremos o digníssimo modo de dizer que nos legou um povo humilde, porém viril e cheio de sentimentos estéticos, pugilo de heróis e de nobres descobridores de mundos novos.


Descobriu? Tente mais uma vez. Ainda não descobriu? Então, veja a resposta lá em baixo.



















Não quer tentar mais? rs.













curiosa(o)!!!! rs.

















O texto não tem letra A.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Creme de Ovomaltine



Amanheci numa disposição daquelas!! Foi só voltar da aula de Pilates, já fui para cozinha e preparei duas sobremesas. Fiz um bolo browne e uma torta de Ovomaltine. Vou mostrar aqui, a receita da torta:


1 lata de leite condensado
1 lata de leite de gado
1 lata de creme de leite
4 ovos
4 colheres de açúcar
Ovomaltine (o quanto desejar).


Faz-se uma papa com o leite condensado, a mesma medida de leite de gado e as 4 gemas. Quando estiver engrossando, tira do fogo, deixa amornar um pouco e põe 1 lata de creme de leite. Põe-se num pirex e em cima da papa, joga uma camada de ovomaltine. Congelador para esfriar um pouco, enquanto faz o restante da receita.


Bate as 4 clara em neve e depois joga 4 colheres de sopa de açucar. Se quiser, pode colocar ainda uma lata de creme de leite.

Põe sobre a papa do leite condensado. Em cima das claras joga um pouco de ovomaltine e leva para o congelador.
Foi super aprovada aqui em casa. Só elogios.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Torta de gelatina e Ana Raquel

Gostei muito de receber em casa para jantar, a Ana Raquel do blog http://wwwoblogdaana.blogspot.com
É uma garota de 14 anos, calada e tímida, mas muito gente boa.
Conviver com novas pessoas é sempre muito gratificante.
Nesse dia, teve uma macarronada, feita pela minha filha.
Fiquei encarregada de fazer a sobremesa de gelatina com ameixa, que fiz na véspera.
Vou repassar a receita para vocês pois, mais fácil do que esta, não conheço.

Torta de gelatina

2 pacotes de gelatina sem sabor (aquelas folhas compridas)
2 latas de leite condensado
1 vidro pequeno de leite de coco.
Ameixa seca (não meço a quantidade)

Desmancha-se, em meio copo d’água quente, as folhas de gelatina.
Depois passo na peneira para não ficar nenhum pedaço de gelatina que não tenha dissolvido.
Acrescenta-se os leites condensados e o leite de côco. Mexe bem.
Põe numa travessa e leva à geladeira.

Depois que endurecer o creme, vc. faz a calda de ameixa.
Ponha a ameixa seca numa panelinha e cubra com água. Deixa ferver até amolecer.
Tira-se os caroços e passa-se a ameixa no liquidificador.
Quando estiver toda desmanchada, põe na panela novamente e acrescenta um pouco açúcar (ponho só umas 2 colheres de sopa para não ficar doce demais) e deixo ferver. Mistura-se bem e põe sobre o creme já firme.
Volta à geladeira.


A de blusa azul é a Ana Raquel e meu genro.


segunda-feira, 11 de julho de 2011

O que as mulheres fazem quando estão com elas mesmas



Li este texto, escrito por Ivan Martins, editor da revista Época. Achei interessante e por isso vou repassar para vocês, resumidamente.


"Ontem eu levei uma bronca da minha prima. Como leitora regular desta coluna, ela se queixou, docemente, de que eu às vezes escrevo sobre “solidão feminina” com alguma incompreensão. Ao ler o que eu escrevo, ela disse, as pessoas podem ter a impressão de que as mulheres sozinhas estão todas desesperadas – e não é assim. Muitas mulheres estão sozinhas e estão bem. Escolhem ficar assim, mesmo tendo alternativas. Saem com um sujeito lá e outro aqui, mas acham que nenhum deles cabe na vida delas. Nessa circunstância, decidem continuar sozinhas.

Minha prima sabe do que está falando. Ela foi casada muito tempo, tem duas filhas adoráveis, ela mesma é uma mulher muito bonita, batalhadora, independente – e mora sozinha. Ontem, enquanto a gente tomava uma taça de vinho e comia uma tortilha ruim no centro de São Paulo, ela me lembrou de uma coisa importante sobre as mulheres: o prazer que elas têm de estar com elas mesmas. “Eu gosto de cuidar do cabelo, passar meus cremes, sentar no sofá com a cachorra nos pés e curtir a minha casa”, disse a prima. “Não preciso de mais ninguém para me sentir feliz nessas horas”.

Ontem, ao conversar com a minha prima, me voltou muito claro uma percepção que sempre me pareceu assombrosamente evidente: a riqueza da vida interior das mulheres comparada à vida interior dos homens, que é muito mais pobre.


A capacidade de estar só e de se distrair consigo mesma revela alguma densidade interior, mostra que as mulheres cultivam uma reserva de calma e uma capacidade de diálogo interno que muitos homens simplesmente desconhecem.



Homens saem para o mundo e o transformam, enquanto as mulheres mastigam seus sentimentos, bons e maus, e os passam adiante, na rotina da casa. Tem sido assim por gerações e só agora começa a mudar.



O que virá da transformação é difícil dizer. Mas, enquanto isso não muda, talvez seja importante não subestimar a cultura feminina. Não imaginar, por exemplo, que atrás de toda solidão há desespero. Ou que atrás de todo silêncio há tristeza ou melancolia. Pode haver escolha. Como diz a minha prima, ficar em casa sem companhia pode ser um bom programa – desde que as pessoas gostem de si mesmas e sejam capazes de suportar os seus próprios pensamentos. Nem sempre é fácil."

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Carla, blogueira.

Nesta minha ida à São Paulo, conheci a Carla do blog Eu mesma. É um blog que visito com frequencia.
Ela nasceu aqui no Ceará, mas mora há alguns anos na capital paulista.
Para melhorar, Carla me apresentou a Keli, do blog Glamour Eterno.
Passamos uma tarde juntas e foi bem agradável


Carla
Keli

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Noite de fondue.

Na ocasião da visita na casa de uma grande amiga, no RJ, nos foi oferecida uma noite de fondue. A mesa muito bem arrumada, nos mínimos detalhes. Dava para perceber que tudo foi feito com muito esmero.

O que dizer do fondue? Tanto o de queijo como o de chocolate estavam deliciosos. Ambos feitos com muito capricho pela Carol, filha da anfitriã, Márcia.

Márcia e Carol Casal anfitrião