Google+ Followers

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Vazamento cozinha

Sabe quando vc. está com a cozinha toda em ordem, aparece um vazamento no andar de baixo e que a suspeita que venha do seu?
Pois foi o que aconteceu.
Morador de baixo se queixando de vazamento e eu crente que não seria de casa.

Para tirar a dúvida, coloquei o apego de lado, chamei primeiramente o marceneiro para tirar o móvel debaixo da pia.
Em seguida, veio o bombeiro para quebrar a parede debaixo da pia.
Em um dos lados não apareceu vazamento. Mas, quando virou para o outro lado da parede, lá se estava um vazamento grande, vindo das pias (água usada).
Uma conexão (luva) rachada e haja água infiltrando nas paredes do prédio.

Depois, soube que não era vazamento recente.
Mas, logo que tive conhecimento, tomei as providencias para sanar o problema.
Por sorte, ainda tinha guardado o revestimento da cozinha.

Minha cozinha e área de serviço haviam sido reformadas há três anos.
Mas, se é uma coisa que não admito, é vazamento.
Penso logo no desperdício de água e tb na estrutura do prédio.

Neste último final de semana, foi colocado o móvel de volta ao local e está tudo resolvido.
Espero que tão cedo não surja outro vazamento, pois sempre nos causa muitos transtornos.

Finalmente, tudo em ordem. 

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Férias


Há uns 10 anos decidi sempre viajar durante minhas férias.
Maio é o mês que escolho para isso.
Por quê?
Gosto por ser um mês de clima agradável e não ser alta estação. Logo, tudo fica mais tranquilo.
Não gosto de multidão e nem muita agitação.
Este ano irei rever Belo Horizonte e algumas cidades históricas.
Acho-as lindas e bem interessantes.
Sem falar na culinária que é um caso à parte. Maravilhosa.


O marido não conhece nenhuma cidade histórica e por isso foi este o roteiro escolhido.
Mesmo sendo por poucos dias, sempre é bom dar uma viajada.
E tendo amigos nessas cidades, melhor ainda.
Mudar de ambiente, conhecer pessoas e lugares novos é muito gratificante e como me faz bem!

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Pra viver melhor...

Mais um texto que gostei muito:

Pra viver melhor..
Não se preocupe, se ocupe.

Ocupe seu tempo, ocupe seu espaço, ocupe sua mente.

Não se desespere, espere.

Espere a poeira baixar, espere o tempo passar, espere a raiva desmanchar.

Não se indisponha, disponha.

Disponha boas palavras, disponha boas vibrações, disponha sempre.

Não se canse, descanse.

Descanse sua mente, descanse suas pernas, descanse de tudo.

Não menospreze, preze.

Preze por qualidade, preze por valores, preze por virtudes.

Não se incomode, acomode

Acomode seu corpo, acomode seu espírito, acomode sua vida.

Não desconfie, confie.

Confie no seu sexto sentido, confie em você, confie em Deus.

Não se torture, ature.

Ature com paciência, ature com resignação, ature com tolerância.

Não pressione, impressione.

Impressione pela humildade, impressione pela simplicidade, impressione pela elegância.

Não crie discórdia, crie concórdia.

Concórdia entre nações, concórdia entre pessoas, concórdia pessoal.

Não maltrate, trate bem.

Trate bem as pessoas, trate bem os animais, trate bem o planeta.

Não se sobrecarregue, recarregue.

Recarregue suas forças, recarregue sua coragem, recarregue sua esperança.

Não atrapalhe, trabalhe.

Trabalhe sua humanidade, trabalhe suas frustrações, trabalhe suas virtudes.

Não conspire, inspire.

Inspire pessoas, inspire talentos, inspire saúde.

Não se apavore, ore.

Ore a Deus, ore aos santos, ore às forças e as energias.

Somente assim viveremos dias melhores.

Então não perca tempo, aproveite seu tempo!






Autor bruno pitanga - neuroimunologia, neurocientista...

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Os filhos esquecerão!

Mais um texto que achei lindo e emocionante!


"O tempo, pouco a pouco, me liberará da extenuante fadiga de ter filhos pequenos, das noites sem dormir e dos dias sem repouso. 
Das mãos gordinhas que não param de me agarrar, que me escalam pelas costas, que me pegam, que me buscam sem cuidados, nem vacilos. 
Do peso que enche meus braços e curva minhas costas. 
Das vezes que me chamam e não permitem atrasos nem esperas.


O tempo me devolverá a folga aos domingos e as chamadas sem interrupções, o privilégio e o medo da solidão. 
Acelerará, talvez, o peso da responsabilidade que as vezes me aperta o diafragma. 
O tempo, certamente e inexoravelmente esfriará outra vez a minha cama, que agora está aquecida de corpos pequenos e respirações rápidas. 
Esvaziará os olhos de meus filhos, que agora transbordam de um amor poderoso e incontrolável. 
Tirará de seus lábios meu nome gritado e cantado, chorado e pronunciado cem mil vezes ao dia. 

Como um rio que escava seu leito, o tempo perigará a confiança que seus olhos têm em mim, como ser onipotente, capaz de parar o vento e acalmar o mar, consertar o inconsertável e curar o incurável. 
Deixarão de me pedir ajuda, porque já não acreditarão mais que em algum caso eu possa salvá-los. 
Pararão de me imitar, porque não desejarão parecer-se muito a mim. 
Deixarão de preferir minha companhia em comparação com os demais (e vejo, isto tem que acontecer!).

Se esfumaçarão as paixões, as birras e os ciúmes, o amor e o medo. 
Se apagarão os ecos das risadas e das canções, as sonecas e os "era uma vez... 
Com o passar do tempo, meus filhos descobrirão que tenho muitos defeitos e se eu tiver sorte, me perdoarão por alguns deles. 

Eles esquecerão, mas ainda assim eu não esquecerei. As cosquinhas e os "corre-corre", os beijos nos olhos e os choros que de repente param com um abraço, as viagens e as brincadeiras, as caminhadas e a febre alta, as festas, as papinhas, as carícias enquanto adormecíamos lentamente.

Meus filhos esquecerão que os amamentei, que os balancei durante horas, que os levei nos braços e ás vezes pelas mãos. 
Que dei de comer e consolei, que os levantei depois de cem caídas. 
Esquecerão que dormiram sobre meu peito de dia e de noite, que houve um dia que me necessitaram tanto, como o ar que respiram. 

Esquecerão, porque é assim mesmo, porque isto é o que o tempo escolhe. 
E eu, eu terei que aprender a lembrar de tudo para eles, com ternura e sem arrependimentos, incondicionalmente. 
E que o tempo, astuto e indiferente, seja amável com estes pais que não querem esquecer." 

(Autor desconhecido)

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Filho predileto

Certa vez perguntaram a uma mãe qual era seu filho preferido,
aquele que ela mais amava.
E ela, deixando entrever um sorriso, respondeu:
"Nada é mais volúvel que um coração de mãe.
E, como mãe, lhe respondo: o filho dileto,
aquele a quem me dedico de corpo e alma...
É o meu filho doente, até que sare.
O que partiu, até que volte.
O que está cansado, até que descanse.
O que está com fome, até que se alimente.
O que está com sede, até que beba.
que está estudando, até que aprenda.
O que está nu, até que se vista.
O que não trabalha, até que se empregue.

O que namora, até que se case.
O que casa, até que conviva.

O que é pai, até que os crie.
O que prometeu, até que se cumpra.
O que deve, até que pague.
O que chora, até que cale.

E já com o semblante bem distante daquele sorriso, completou:
O que já me deixou...
...até que o reencontre...


(Erma Bombeck)